NR-13

Muitas empresas estão deixando de cumprir a NR-13, em relação a alguns equipamentos por falta de esclarecimentos e conhecimento da Norma Regulamentadora.

Alguns tipos de equipamentos a serem enquadrados: máquina de jato, reservatório ar/óleo de compressores, filtros de ar comprimido, cilindros rotativos pressurizados, mesas quentes pressurizadas, trocadores de calor, auto claves, pulmão de ar comprimido ou com outros fluídos, boyler, entre outros.

A NR-13 é composta de 02 etapas de Inspeções:

* 1ª etapa - Fabricação do vaso de pressão (é de responsabilidade do fabricante as inspeções de fabricação e ensaios).

* 2ª etapa - Cliente que comprou e instalou o vaso de pressão em sua fábrica (inspeção inicial, antes do vaso entrar em operação e inspeções periódicas).

Compressores-de-Ar.jpg
  • COMPRESSORES

 

Todo cilindro ou vaso compressor, que é submetido a variações de pressão repetidas vezes, durante um espaço curto de tempo, corre o risco de fadigar o material do vaso, desta forma a ABNT criou a norma NBR-13, que regulamenta as inspeções nos vasos.

O teste hidrostático é realizado para a verificação e manutenção da segurança dos vasos compressores, após é emitido seu laudo de avaliação.

O Ministério do Trabalho exige a inspeção anualmente, para vasos novos e usados, e teste completo a cada 05 anos.

Serviço Realizado Por Engenheiro Mecânico com Pós Graduação em Engenharia de Segurança do trabalho.

A seguir peço atenção especial ao enquadramento de pulmões que suportam pequenos compressores alternativos de ar comprimido, pois tenho percebido que existe uma pendência muito grande com esses equipamentos e quero lembrar também que as válvulas de segurança devem ter capacidade de descarga compatível com a vazão do compressor e certificado de calibração.

Na compra desses compressores novos, existe uma etiqueta adesiva "Teste Hidrostático, Conforme NR-13", colocada no corpo do vaso de pressão e o cliente acha que com isso o seu pulmão já está enquadrado na NR-13, porém esta equivocado, pois existe a necessidade de se fazer a Inspeção Inicial após a sua instalação em local definitivo.

Inspeção Inicial: Inspeção e Teste Hidrostático e não podemos deixar também de verificar: as Instalações, Condições de Risco Grave e Iminente, Prontuário, Livro de Registro de Segurança, Projeto de Instalação, Instrumentos e Válvulas de Segurança e Treinamento dos Operadores.

Testes Realizados:

* Hidrostático realizados com os equipamentos fora de serviço, através de sua pressurização com água (teste hidrostático).

* Ultra som método não destrutivo que tem por objetivo a detecção de defeitos ou descontinuidades internas, presentes nos materiais ferrosos ou não ferrosos.

O Laudo de Vaso Sob Pressão é administrado em compressores ou equipamentos responsáveis por admitir ou absorver o ar atmosférico, comprimindo e enviando para reservatórios de armazenamento.

O compressor de ar é um elemento básico de um sistema pneumático, sendo necessário, anualmente cumprir a inspeção, teste hidrostático ou medição de espessura, e registro em livro próprio.

Realizando tal procedimento a empresa fica apta com os órgãos fiscalizadores, evitando autuações impostas, prevenção de risco de explosão e suspensão das linhas de abastecimento de ar comprimido, sanando perdas na produção do trabalho.

A FUSION INSPEÇÕES INTELIGENTES conta com profissionais altamente qualificados para proporcionar credibilidade para seu laudo, utilizamos equipamentos devidamente calibrados e de última geração. Todo este processo concilia com uma boa segurança aos colaboradores.

Vale ressaltar que a FUSION INSPEÇÕES INTELIGENTES efetua também a montagem do projeto de instalação e confecção do livro de cada Vaso Sob Pressão.

Saiba mais:

Vaso sob Pressão NR 13

De acordo com as informações dispostas na NR 13.6.1: "Vasos sob Pressão são equipamentos que contém fluidos sob pressão interna ou externa".

Simultaneamente esses equipamentos são submetidos à pressão interna e externa, mesmo aqueles vasos que operam com vácuo estão sujeitas a pressões, pois não existe vácuo absoluto.

Vaso Sob Pressão pode ser constituído de materiais e formatos geométricos variados em função do tipo de utilização a que se destinam. Desta forma, podem existir equipamentos esféricos, cilíndricos, cônicos, entre outros, constituído também de uma variedade de materiais, exemplo, carbono e aço inoxidável.

A composição de um vaso sob pressão, são de gases ou a mistura de ambos. Sua função varia em armazenamento final ou intermediário, amortecimento de pulsação, troca de calor, contenção de reações, podendo obter outros aspectos. Sua instalação é aplicada em indústrias, hospitais, hotéis, restaurantes.

 

A NR 13.6.3: Todo vaso de pressão deve ter afixado em seu corpo, em local de fácil acesso e bem visível, placa de identificação indelével com, no mínimo, as seguintes informações:

a) Fabricante.

b) Número de identificação.

c) Ano de fabricação.

d) Pressão máxima de trabalho admissível.

e) Pressão de teste hidrostático.

f) Código de projeto e ano de edição.

 Classificação de Vaso sob Pressão

Conforme anexo IV da NR 13, Vasos sob Pressão são classificados em categorias segundo o tipo de fluido potencial de risco.

Classe A:

Fluidos inflamáveis;

Combustível com temperatura igual ou superior a 200°C;

Fluidos tóxicos com limite de tolerância igual ou inferior a 20 ppm (partes por milhão);

Hidrogênio;

Acetileno

Classe B:

Fluidos combustíveis com temperaturas inferiores a 200°C;

Fluidos tóxicos com limite de tolerância superior a 20 ppm (partes por milhão);

Classe C:

Vapor de água, gazes asfixiantes simples ou ar comprimido.

Classe D:

Água ou outros fluidos que não comportem as classes A, B e C, com temperatura superior a 50°C.

Vale ressaltar que quando trata-se de misturas, a classificação deverá partir do fluido que apresentar maior risco ao funcionário, instalações, toxidade, inflamabilidade  e concentração.

 

Inspeção de Segurança de Vasos sob Pressão

 

NR 13.10.1 " Os vasos de pressão devem ser submetidos a Inspeções de Segurança Inicial, periódica e extraordinária."

 

A Inspeção de Segurança Inicial só poderá ser realizada quando o vaso sob pressão estiver instalado adequadamente no local definitivo, enquanto isso não ocorrer não será validado como exames, pois seus componentes irão sofrer variações no transporte até seu local de destino e afixado.

 

O exame consiste em interno, externo e teste hidrostático, e devem obedecer a uma tabela determinada pela NR 13.10.3

1-      Para estabelecimentos que não possuem serviço próprio de inspeção, deve obedecer a tabela abaixo:

 

Categoria do Vaso  Exame Externo  Exame Interno  Teste Hidrostático

I                               1 ANO                               3 ANOS                                 6 ANOS

II                              2 ANOS                             4 ANOS                               8 ANOS

III                             3 ANOS                             6 ANOS                             12 ANOS

IV                             4 ANOS                            8 ANOS                              16 ANOS

V                              5 ANOS                           10 ANOS                             20 ANOS

 

Seguem exemplos:

Exemplos de classificação de vasos de pressão

1º Caso:

Equipamento: Fracionadora de etileno

Temperatura de operação: -30°C

Volume geométrico: 785m3

Pressão de operação: 20,4kgf/cm2

Produto: Etileno

a) Para verificar se o vaso se enquadra na NR-13:

 Máxima pressão de operação = 20,4kgf/cm2

 Para transformar para kPa:

 20,4 ÷ 0,010197 = 2000,58 kPa

 P.V = 2000,58 (kPa) x 785 (m3)

 P.V = 1.570.461,90

 P.V >> 8, portanto o vaso se enquadra na NR-13

b) Para determinar a categoria do vaso:

 Produto Etileno = fluido inflamável = fluido classe "A"

 P.V = 2,00058 MPa x 785m3 = 1.570,45 (portanto P.V > 100)

 Com P.V > 100 e fluido classe "A", vamos à tabela do Anexo IV e tiramos que o vaso é Categoria I.122

2º Caso:

Equipamento: Filtro de óleo lubrificante

Temperatura de operação: 40ºC

Volume geométrico: 290 litros

Pressão máxima de operação: 5,0kgf/cm2

Produto: Óleo lubrificante

a) Para verificar se o vaso se enquadra na NR-13:

 Máxima pressão de operação: 5,0kgf/cm2

 Para transformar para kPa:

 5,0 ÷ 0,01097 = 490,34 kPa

 Volume geométrico: 2,90 = 0,290m3

 Produto P.V = 490,34kPa x 0,290m3 = 142,19

 P.V > 8, portanto se enquadra na NR-13